Reforçada por novos apoios, a Oposição volta às ruas contra Bolsonaro com atos em 402 cidades

Movimentos de oposição convocam novos atos contra Bolsonaro para o dia 19 |  VEJA

É aguardada mais uma multidão na Avenida Paulista

Joelmir Tavares
Folha

Setores de oposição aA presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltam às ruas neste sábado (19) para uma nova manifestação nacional pelo impeachment, por mais vacinas contra a Covid-19 e por auxílio emergencial, menos de um mês após os atos de 29 de maio, que atraíram milhares de pessoas.

Animados com a participação popular e a repercussão política da rodada anterior, organizadores preveem volume maior de participantes. A quantidade de organizações que endossam a realização dos protestos e o número de cidades com atividades programadas cresceram em relação a maio.

EM 402 CIDADES – Até esta quinta-feira (17), estavam confirmados 409 atos em 402 cidades de todos os estados brasileiros, incluindo as 27 capitais. No exterior, a previsão era a de concentrações em 41 cidades, em países como Estados Unidos, Canadá, Alemanha, França, Portugal, Itália, Finlândia e Argentina.

No mês passado, segundo a coordenação, houve no total movimentações em 210 cidades no Brasil —algumas, assim como agora, tiveram mais de uma atividade. No exterior, o número também foi menor: 14 cidades. No total, foram 227 atos.

As manifestações são convocadas e apoiadas por movimentos sociais, partidos políticos, centrais sindicais, entidades estudantis, torcidas organizadas e grupos envolvidos em causas como feminismo e antirracismo. A organização está centralizada no fórum Campanha Nacional Fora, Bolsonaro.

USAR MÁSCARAS – A recomendação é que os manifestantes usem máscara (preferencialmente do tipo PFF2), se possível levem máscaras para doação, carreguem álcool em gel e mantenham o distanciamento social. Nos protestos de maio, as orientações foram seguidas, mas houve registros de aglomerações.

O país passa por um novo avanço de casos e mortes na pandemia. Nesta quinta-feira (17), o Brasil registrou 2.335 mortes por Covid-19 e 74.327 casos da doença. Com isso, o total de mortes no país chegou a 496.172 e o de casos a 17.704.041 desde o início da pandemia.

A média móvel de mortes por dia ficou em 2.005, segundo dia consecutivo com o número acima de 2.000 –já são 147 dias acima de mil mortes diárias.

NA AVENIDA PAULISTA – Em São Paulo, a concentração do protesto será novamente na frente do Masp, na avenida Paulista, a partir das 16h. A maior parte das cidades terá passeatas, mas em algumas haverá carreatas, consideradas menos arriscadas para a disseminação do novo coronavírus.

No sábado passado (12), Bolsonaro participou na capital paulista de um passeio de moto com apoiadores, depois de eventos semelhantes em Brasília e no Rio.

O presidente e auxiliares foram multados pelo governo João Doria (PSDB) por não usarem máscara contra a Covid-19 no evento. Motociclistas simpatizantes do governo também deixaram de usar a proteção facial — item que os protestos da oposição dizem diferenciá-los em relação aos dos bolsonaristas.

4 thoughts on “Reforçada por novos apoios, a Oposição volta às ruas contra Bolsonaro com atos em 402 cidades

  1. O LADRÃO livre foi um tiro no pé!!!

    Claro que os petistas já perceberam que a soltura de Lula foi um tiro no pé. A estratégia falhou. Eles pensaram que Lula botaria fogo no país, voltaria a mobilizar as massas, e ressurgiria como a Fênix de Garanhuns. Ledo e mortal engano. A soltura do bandido mostrou aos petistas a face mais cruel da realidade: O desprezo do povo pelo ex-presidente LADRÃO. Lula, hoje, é carregado por um punhado de puxa sacos pelo país, como um cadáver putrefato, fedorento, que as pessoas sentem náusea ao avistar.
    A figura do LADRÃO causa repulsa, nojo, asco, na maioria do povo. Seus discursos não conseguem reunir um número minimamente decente de pessoas, nem na internet, e ainda por cima, têm de aguentar os protestos e xingamentos de muitos (fora a já tradicional CHUVA DE OVOS).
    A desmoralização é total. E os petistas notaram isso. E estão estupefatos, pois o choque de realidade foi grande demais. Agora, estão sem saber o que fazer com a carcaça pútrida. Preso, ainda tinha alguma relevância, por conta do discurso vitimista. Solto, perdeu tudo, até mesmo a narrativa mentirosa de preso político.
    Mas, a vida segue. Rei morto, rei posto. Afinal, agora, o Sistema aceitou que não pode mais contar com uma hipotética ressurreição de Lula.
    Então agora, eles têm um problema: quem poderia substituir o LADRÃO na batalha pelas eleições de 2022? O Sistema não consegue encontrar alguém na centro esquerda ou mesmo no Centrão, que seja páreo para Bolsonaro. Na esquerda, Ciro Gomes não tem mais relevância. Maia? Uma piada. Huck? Pior ainda. Calcinha Atolada? Suicidou politicamente
    A esperança era Lula. Lula não existe mais. Poderiam apelar para um plano B, mas a verdade é que também não existe um plano B. O desespero é grande. A tendência é que, se não encontrarem um nome forte, terão de aguentar a reeleição de Bolsonaro, e, ainda o ver fazendo um sucessor. O golpe seria duro demais.
    Pior para o Sistema composto por vermes que infestam e aparelham todo o testamento político e burocrático, e que terminarão morrendo à míngua. Melhor para os patriotas e pessoas de bem, deste país.
    São novos tempos…Graças a Deus!!!

    • Os caras estão á 2 anos com essas fantasias de Lula ou terceira via; ai, você vem com esse choque de realidade.
      É tão ruim quando você ainda é jovem, acredita em alguns contos de fada; e logo depois vem um choque de realidade.

  2. O bom dessas manifestações é que elas forçam a oposição a gastarem seu dinheiro ilícito transportando e alimentando a claque com pão e mortadela. E o ladrão vai comparecer as manifestções ou continuará acovardado e escondido, agindo na surdina?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *