Grande Piada do Ano! “Temer, assim como o técnico Tite, também vai se levantar”

O marqueteiro Elisinho Mouco fala mais do que devia

Geralda Doca e Daniel Gullino
O Globo

Uma das cenas marcantes da vitória do Brasil por a 2 a 0 contra a Costa Rica, a queda do técnico Tite na comemoração do primeiro gol, foi utilizada pelo marqueteiro do presidente Michel Temer, Elsinho Mouco, para fazer uma analogia com o momento do governo federal.

Elsinho publicou um vídeo no Facebook que mostra Tite caindo e afirmou que, assim como o comandante da seleção, Temer “também vai se levantar quando forem reconhecidos os gols do seu governo”. O texto é acompanhado da hashtag “Bora Temer”, slogan que o marqueteiro utiliza em oposição ao “Fora Temer”.

“OUTRO GOL” – Não é a primeira vez na Copa do Mundo que o governo federal tenta tirar proveito do desempenho da seleção. No domingo, após o gol do Brasil contra a Suíça, a conta oficial do governo no Twitter disse que a queda na inflação era “outro gol”.

De acordo com a última pesquisa do Datafolha, Michel Temer bateu o próprio recorde de impopularidade: 82% consideram o governo do emedebista ruim ou péssimo. A taxa de reprovação aumentou 12 pontos percentuais em relação ao ultimo levantamento, em abril. Segundo o instituto de pesquisa, Temer é o presidente mais impopular desde a redemocratização do país.

Marqueteiro usou a foto dos reservas levantando Tite após o primeiro gol

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Elisinho Mouco era o rei do Planalto, na época em que Temer sonhava ser reeleito. Foi contratado a peso de ouro, junto com a equipe que passou a trabalhar no quarto andar do palácio. Está cada vez mais rico e Temer cada vez mais liquidado. Hoje, no Planalto, ninguém mais dá importância ao que diz o marqueteiro. E quando alguém sugere que está na hora dele fazer as malas, o Mouco faz ouvidos de mercador, como se dizia antigamente. (C.N.)

Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte ameaçaram testemunha, diz Procuradoria

Resultado de imagem para CIRO NOGUEIRA E EDUARDO DA FONTE

Federais fizeram busca e apreensão nos seus gabinetes

Por Renan Ramalho
G1, Brasília

A Procuradoria Geral da República (PGR) apontou ameaça de morte a uma testemunha da Operação Lava Jato supostamente a mando do presidente do PP, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), e pelo deputado Eduardo da Fonte (PP-PE). Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte foram denunciados nesta semana por suposta obstrução de Justiça, segundo a PGR, por ordenar o ex-deputado Márcio Junqueira (ex-filiado ao PP) a pressionar um ex-assessor e motorista a desmentir depoimentos prestados à Polícia Federal.

Procurada, a assessoria do deputado enviou a seguinte nota: “Eduardo da Fonte reitera que a acusação é completamente mentirosa e absurda e que ele está à disposição da justiça para que os fatos sejam esclarecidos rapidamente”.

FANTASIA – Ao G1, o advogado de Ciro Nogueira, Antônio Carlos de Almeida Castro, disse que a acusação contra o parlamentar é “fantasiosa”, “criminosa” e de uma “irresponsabilidade enorme”.

“Não existe nada nos autos que leve – sequer ‘en passant’ – a qualquer hipótese de o senador Ciro estar envolvido nisso. Então, é muito grave. Tem quer ver os autos, tem que ler e distanciar profundamente quem são os investigados”, declarou o advogado.

Considerado um “arquivo vivo”, José Expedito trabalhou para Ciro e Eduardo da Fonte por mais de dez anos, sendo “pessoa próxima e de confiança” dos parlamentares, incumbido de transportar dinheiro para eles em diversas ocasiões, segundo a PGR.

CONFISSÃO – Em setembro de 2016, José Expedito confessou os crimes à PF e entregou o que diz serem provas. Segundo a PGR, em 2017, a mando de Ciro Nogueira e de Eduardo da Fonte, Márcio Junqueira passou a exigir de José Expedito uma “retratação” das revelações que fez nos depoimentos.

“A mando dos parlamentares, a partir de outubro de 2017, nos termos retratados nesta denúncia, Márcio Junqueira ameaçou José Expedito de morte, exigiu dele uma retratação em cartório do conteúdo dos depoimentos que prestou à PF em 2016 (declaração ideologicamente falsa), prometeu-lhe cargo público, casa, pagou-lhe despesas e fez entregas de dinheiro —, tudo para comprar seu silêncio e, assim, prejudicar investigações em curso”, diz a denúncia.

Lágrimas existem, que rolam na face; há outras, porém, que rolam no coração

Resultado de imagem para candido das neves

Pixinguinha e Cândido das Neves, amigos e parceiros

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O instrumentista, cantor e compositor carioca Cândido das Neves (1899-1934), apelidado de “Índio”, na letra de “Página de Dor”, parceria comPixinguinha, relembra um amor platônico. Essa valsa foi gravada por Orlando Silva, em 1938, pela RCA Victor.

PÁGINA DE DOR
Pixinguinha e Cândido das Neves

Página de dor
Que faz lembrar
Volver as cinzas
De um amor
Infeliz de quem
Amando alguém
Em vão esconde
Uma paixão

Lágrimas existem
Que rolam na face
Há outras porém
Que rolam no coração
São essas que ao rolar
Nos vem uma recordação
Página de dor
Que faz lembrar
Volver as cinzas
De um amor

O amor que faz sofrer
Que envenena o coração
Para a gente esquecer
Padece tanto
E às vezes tudo em vão
Seja o teu amor o mais
profano delator
Bendigo porque vem do amor
Tendo o pranto amenidade
De aljofrar minha saudade
Glórias tem o pecador no amor

Lágrimas existem (…)23

O que Temer, Aécio e Maia tramam quando estão reunidos sigilosamente?

Resultado de imagem para temer, rodrigo maia e aecio

Maia e Aécio foram jantar quinta-feira com Temer

Marcelo Ribeiro
Valor

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), jantou com o presidente Michel Temer e com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) na noite desta quinta-feira. O encontro, que não constava nas agendas oficiais das autoridades, ocorreu na residência oficial da Presidência da Câmara. Segundo apurou o Valor, durante a reunião os três discutiram o cenário eleitoral e avaliaram as possibilidades de suas legendas, DEM, MDB e PSDB, se unirem em torno de uma candidatura única à Presidência da República.

Afastado dos holofotes e das negociações eleitorais do PSDB desde que foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS, com sua atuação de parlamentar se limitando aos bastidores, Aécio Neves teria destacado a importância de os partidos do chamado centro político estarem unidos em torno de um postulante ao comando do Palácio do Planalto para garantir uma vaga no segundo turno.

Como Maia e o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que são pré-candidatos do DEM e do MDB, respectivamente, não decolam nas pesquisas de intenção de voto, aumenta a expectativa de que as legendas abandonem suas pretensões eleitorais e apoiem um nome mais competitivo. O pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, que oscila entre 8% e 10% nos levantamentos mais recentes, é uma das alternativas.

Sem consenso sobre o apoio do DEM à postulação de Alckmin, Maia e o presidente do partido, o prefeito de Salvador, ACM Neto, já se reuniu com o tucano, mas mantêm negociações paralelas com Ciro Gomes, do PDT, e Álvaro Dias, do Podemos. O caminho a ser seguido deve ser decidido apenas na segunda quinzena de julho.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
A notícia é estranha e surpreendente, porque juntar Aécio Neves e Michel Temer é uma espécie de “abraço de afogados”, com os dois submergindo juntos no Mar das Tormentas. A presença de Rodrigo Maia é mais surpreendente ainda, porque ele não está se afogando. Pelo contrário, tem aproveitado a crista da onda, já conseguiu fortalecer o DEM e está trazendo o pai Cesar Maia de volta à política nacional. Rodrigo Maia está cansado de dizer publicamente que não aceita alianças com o MDB de Temer e o PSDB de Aécio. A explicação que resta para esta reunião (e que pode ser verdadeira) é que os três estejam tramando contra a Lava Jato, ocupação que se tornou um dos esportes preferidos nos Três Poderes desta apodrecida República. (C.N.)

Eleitores de Lula não se importam com o envolvimento dele na corrupção

Resultado de imagem para lula nas pesquisas charges

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Carlos Newton

O instituto Datafolha divulgou mais uma pesquisa em que o eleitor avalia que o e x-presidente Lula é o pré-candidato mais preparado para acelerar o crescimento da economia, pois 32% dos entrevistados citaram o petista como o melhor nome para desempenhar essa missão. O resultado da pesquisa é bastante similar ao quadro geral de intenção de voto do eleitor, com o ex-presidente sendo seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 15%, e Marina Silva (Rede), 8%.   

Para reverter a estagnação da economia, Lula é o favorito de eleitores de todas as faixas etárias e regiões do país. No Nordeste, o petista é visto como o melhor remédio para a economia por 51% dos entrevistados, contra apenas 8% do segundo colocado, Bolsonaro.

IGNORÂNCIA – O prestígio eleitoral de Lula é fruto da ignorância dos eleitores brasileiros. A maioria não se importa com o fato de Lula ser corrupto e ter institucionalizado o maior esquema de corrupção já visto no mundo. Para o eleitor, nada disso tem importância, porque todos os demais políticos também são corruptos, a ladroagem faz parte do negócio, todo mundo sabe disso, é fato público e notório.

A vantagem eleitoral do ex-presidente diminui conforme aumentam a escolaridade e a renda dos eleitores, melhor dizendo, que diminui a ignorância.

Entre os eleitores com renda superior a dez salários mínimos, com maior grau de instrução, o petista cai para terceiro (14%), atrás de Bolsonaro (22%) e do tucano Geraldo Alckmin (17%).

É IMBATÍVEL – Não adianta citar alto grau de rejeição e outros fatores. Pessoalmente, acredito que Lula continua imbatível, não há como ser derrotado por nenhum desses pré-candidatos, inclusive Bolsonaro.

A eleição de Lula, a meu ver, seria desastrosa. Com sua mistura de arrogância e ignorância, Lula ameaça mergulhar o país numa crise ainda pior. A sorte dos brasileiros é que ele não poderá disputar a eleição, devido à falta da certidão de elegibilidade, que é exigida a todos os candidatos.

Por tudo isso, será uma eleição eletrizante, e a inevitável recursa da candidatura de Lula vai causar uma confusão monumental, estando ele preso ou não.

Desembargadora indefere recurso e Fachin arquiva o pedido para libertar Lula

Resultado de imagem para maria de fátima freitas labarrère

Vice-presidente do TRF-4 só liberou o recurso ao STJ

Deu no Estadão

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), julgou prejudicado e retirou da pauta da próxima terça-feira, 26, o pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O motivo é a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de negar, nesta sexta-feira, 22, a admissão do recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal.

A suspensão dos efeitos da condenação imposta pelo TRF-4, que poderiam liberar o petista da cadeia e sua inelegibilidade, era um pedido feito ao STF através do recurso extraordinário, que foi rejeitado nesta sexta pelo tribunal de segunda instância. No jargão jurídico, a defesa de Lula pedia o “efeito suspensivo” ao recurso.

PREJUDICABILIDADE – Em sua decisão, assinada nesta sexta-feira, Fachin apontou a “alteração do quadro processual” após a decisão do TRF-4.

“Com efeito, a modificação do panorama processual interfere no espectro processual objeto de exame deste Supremo Tribunal Federal, revelando, por consequência, a prejudicialidade do pedido defensivo. Diante do exposto, nos termos do art. 21, §1°, RISTF, julgo prejudicada esta petição. Retire-se de pauta. Diligências necessárias. Publique-se. Intime-se. Brasília, 22 de junho de 2018”, determinou o ministro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A decisão foi da vice-presidente do TRF-4, desembargadora Maria de Fátima Labarrère. Ela aceitou dar seguimento ao recurso especial de Lula ao Superior Tribunal de Justiça, mas não admitiu o recurso extraordinário ao Supremo. Com isso, colocou ordem na bagunça – primeiro, Lula recorre ao STJ e depois ao STF. Mas é claro que a defesa do ex-presidente pode recorrer ao próprio TRF-4, por meio de um agravo, mas caberá à própria desembargadora Maria de Fátima Labarrère decidir se reconsidera ou não seu entendimento, após ouvir parecer do Ministério Público Federal. Qualquer que seja a decisão final da magistrada, admitir ou não admitir os recursos, ela deve remetê-los aos tribunais superiores, que farão uma segunda análise sobre a admissibilidade deles. Portanto, vamos aguardar agora a decisão da Quinta Turma do STJ, que recentemente já se manifestou por unanimidade contra a libertação de Lula. (C.N.)

Advogados desmentem terem pedido ao STF prisão domiciliar para Lula

Resultado de imagem para Lula preso charges

Charge do Samuca (Charge Online)

José Carlos Werneck

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em nota distribuída à imprensa na noite desta quinta-feira, dia 21, negou que vai solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o petista passe a cumprir prisão domiciliar. “O ex-presidente Lula está pedindo nos recursos dirigidos aos tribunais superiores o restabelecimento de sua liberdade plena porque ele jamais praticou qualquer ato ilícito”, diz o texto assinado pelo advogado Cristiano Zanin Martins. “A defesa de Lula não apresentou ao STF ou a qualquer outro Tribunal pedido de prisão domiciliar.”

A nota foi uma resposta dos advogados a uma suposta informação de que estavam convencidos de que dificilmente a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal irá contrariar uma decisão do plenário, e por isso a defesa de Lula, capitaneada pelo ex-ministro Sepúlveda Pertence, pleitearia agora uma prisão domiciliar para o ex-presidente.

DEVE NEGAR – A tendência da Segunda Turma do STF é negar, na próxima terça-feira, o pedido de liberdade para o ex-presidente, porque um pedido de habeas-corpus a favor dele já foi negado pelo plenário e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região ainda não julgou a admissibilidade do recurso extraordinário, condição, regimentalmente prevista, para que venha a ser examinado pela Segunda Turma.

O pedido de prisão domiciliar não consta dos memoriais entregues na tarde de ontem aos ministros integrantes da Segunda Turma pelo advogado Sepúlveda Pertence, que foi ao tribunal e conversou com alguns dos magistrados que participarão do julgamento, marcado para a próxima terça-feira, dia 26.

EFEITOS DO ACÓRDÃO – No início do mês, os advogados protocolaram pedido para suspender os efeitos do acórdão do TRF-4, que condenou o ex-presidente a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção no caso do tríplex de Guarujá, até o julgamento do recurso extraordinário que questiona a decisão. A defesa quer que seja dado a Lula,através de recurso extraordinário, efeito suspensivo da decisão e que ele,aguarde,em liberdade, o julgamento final do processo.

Os advogados sustentam que há grandes chances de da condenação ser revertida nos tribunais superiores e, se isso vier a acontecer, ninguém poderá reparar o dano causado à seu cliente, pelo tempo em que permaneceu preso.

O recurso extraordinário foi impetrado, como prevê a lei,no próprio TRF-4, que faz o chamado exame de admissibilidade e depois envia o processo para o Supremo Tribunal Federal, o que até o presente momento, ainda não foi feito.

Inicialmente os advogados não pleiteavam a prisão domiciliar. O pedido de liberdade de Lula será julgado pelos ministros Edson Fachin, que é o relator do processo, Celso de Mello, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, que integram a Segunda Turma do STF.

Delação de Palocci, que cita Lula e Dilma, é homologada por desembargador

Imagem relacionadaBela Megale
O Globo

Relator da Operação Lava-Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o desembargador João Pedro Gebran Neto homologou nesta sexta-feira a delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, que comandou a pasta da Fazenda no governo do ex-presidente Lula e foi chefe da Casa Civil da gestão de Dilma Rousseff.

Como O Globo revelou em abril, depois de tentar, sem sucesso, fechar um acordo de colaboração com a força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, Palocci acabou firmando um acordo pontual com a Polícia Federal, sem o envolvimento de autoridades com foro privilegiado. O acordo foi homologado dois dias após o Supremo Tribunal Federal (STF) liberar a PF para firmar delações.

LULA E DILMA – Na delação, Palocci citaria episódios desabonadores envolvendo tanto Lula quanto Dilma e detalharia pagamentos de propina ao PT envolvendo empreiteiras investigadas no escândalo da Petrobras. Os termos do acordo firmado com a PF e agora homologado pela Justiça ainda estão sob sigilo.

Palocci está preso em Curitiba desde setembro de 2016. Ele foi condenado por Moro a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Em abril, O Globo revelou que boa parte das histórias abordadas por Palocci — que ainda poderão ser detalhadas no curso das investigações — reconstituiriam o esquema de corrupção na Petrobras, as relações das empreiteiras com políticos do PT e outros partidos, assim como a forma como Lula e Dilma se envolveram nas tratativas que resultaram em um prejuízo de cerca de R$ 42 bilhões aos cofres da estatal, segundo estimativa da própria PF.

DETALHES – O detalhamento das negociatas que envolveram o pagamento de milionárias propinas ao PT pela Odebrecht, em troca de contratos bilionários de construção de sondas de exploração de petróleo em águas profundas para a Petrobras, é um dos principais pontos da delação do ex-ministro.

O ex-ministro teria narrado pelo menos uma conversa com Lula no Palácio do Planalto na qual teria tratado do esquema envolvendo a construção de sondas para exploração de petróleo. O objetivo da negociação, feita na presença de Dilma, seria levantar dinheiro para bancar a eleição da ex-presidente, em 2010.

Ao falar da relação de Lula com empreiteiras, o ex-ministro disse que parte do dinheiro entregue nas mãos do ex-presidente e na sede do instituto teria saído diretamente da “conta Amigo”, a reserva de propina atribuída ao petista no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht. Já ao citar Dilma, Palocci afirmou aos investigadores que ela teria atuado para atrapalhar as investigações da Lava-Jato no episódio da nomeação de Lula para ministro da Casa Civil, em março de 2016.

PROVAS MATERIAIS – Além de detalhar os casos de corrupção dos quais participou ou teve conhecimento, o ex-ministro terá de apresentar provas do que diz. Se mentir ou quebrar algumas das cláusulas firmadas, poderá perder os benefícios negociados.

Fundador do PT, ex-prefeito de Ribeirão Preto, ex-ministro da Fazenda do governo Lula e ex-chefe da Casa Civil de Dilma, Palocci participou das decisões mais importantes do partido nas últimas duas décadas. O PT sempre negou irregularidades nas doações de campanha do partido.

DILMA REAGE – Em nota divulgada em abril, Dilma afirmou que “o ex-ministro mente para sair da cadeia e não tem provas para sustentar acusações a ela ou Lula”.

Também em abril, o advogado de Lula Cristiano Zanin negou envolvimento de seu cliente nos fatos narrados: “Qualquer afirmação de entrega de dinheiro ao ex-presidente Lula é mentirosa e, por isso mesmo, desacompanhada de qualquer prova. Lula jamais pediu ou recebeu vantagens indevidas”.

Em nota, o PT afirmou que Palocci “rendeu-se às chantagens da Lava-Jato” e faz “falsas acusações” contra Lula para receber benefícios.

Morre aos 91 anos o ex-governador Waldir Pires, um político de verdade

Imagem relacionada

Waldir Pires, um homem de bem

José Carlos Werneck

O ex-governador da Bahia Waldir Pires morreu na manhã desta sexta-feira em Salvador, aos 91 anos. Ex-ministro da Defesa do governo Lula, ele estava internado no Hospital da Bahia desde a noite de ontem, com um quadro de pneumonia. Segundo informações da assessoria do hospital, Pires teve uma parada cardiorrespiratória por volta das 10 horas. A equipe médica tentou reanimá-lo, mas ele não respondeu ao procedimento e veio a falecer.

Waldir Pires foi secretário de governo de Luís Régis Pacheco Pereira no período de 1951-1955. Depois, elegeu-se deputado estadual e federal. No episódio da renúncia do presidente Jânio Quadros, em 25 de agosto de 1961, apoiou a posse do vice-presidente João Goulart, cujo nome era vetado pelos militares.

EXILADO NO URUGUAI – Após o Movimento militar de 1964, teve seus direitos políticos cassados e exilou-se no Uruguai, seguindo depois para a França, onde se tornou professor da Faculdade de Direito da Universidade de Dijon e do Instituto de Altos Estudos da América Latina da Universidade de Paris, em 1968.

Ao voltar ao Brasil, em 1970, retornou à vida pública. Em 1985 foi nomeado pelo presidente José Sarney para o Ministério da Previdência e Assistência Social . Em 1987, foi eleito governador da Bahia e em 1990 elegeu-se, pela segunda vez, deputado federal.

Em 2003, foi nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ministro-chefe da Corregedoria-Geral da União. Em março de 2006, assumiu o Ministério da Defesa, onde enfrentou a crise do setor aéreo, uma das mais graves do governo Lula.

Além de ter sido um excelente ministro da Previdência e Assistência Social e ter ocupado importantes cargos políticos, Waldir Pires foi, sobretudo, um homem de bem.

Lembrando Nelson Rodrigues: “Todas as vitórias são santas”

Resultado de imagem para nelson rodrigues frasesPedro do Coutto

Foi difícil passarmos pela Costa Rica, jogo duríssimo, um sufoco, que fez a vitória surgir no final do segundo tempo. Vencemos e vamos em frente. Em momentos assim lembro a frase do meu amigo Nelson Rodrigues: “Todas as vitórias são santas”. E acrescento. Nas vitórias devemos agradecer a Deus e valorizar a etapa conquistada. Foi difícil. A Seleção de Ouro só melhorou no segundo tempo com a entrada de Douglas Costa no lugar de Willian. Foi a partir desse momento que o escrete apurou suas jogadas ofensivas, tornando o gol iminente.

Custou a vir  até que Felipe Coutinho aproveitou a pressão sobre a área do adversário e mandou a bola na rede. Por que a seleção não jogou ofensivamente desde o início da partida?  Uma pergunta a ser respondida pelo técnico Tite.

UMA REPRISE – No primeiro tempo, quase repetimos  a atuação contra a Suíça. Excesso de troca de passes, velocidade reduzida, são fatores que fizeram a Costa RIca crescer. Estávamos mal posicionados em campo com afunilamento entre a esquerda e o centro do ataque. Não estávamos ocupando o espaço com o toque de primeira. O panorama ao fim da primeira etapa era preocupante. Chutamos pouco a gol e a defesa tinha que cuidar dos contra-ataques. A entrada de Douglas Costa foi providencial. Importante é que praticamente garantimos a passagem da fase classificatória para as oitavas de final.

Substituições providenciais acontecem sempre no futebol. Basta lembrar o exemplo de 58: quatro substituições foram feitas a partir do jogo contra a Rússia. Pelé no lugar de Dida, Zito no lugar de Dino Sani, Vavá no lugar de Mazola e Garrincha no lugar de Joel. Podemos até acrescentar uma quinta modificação: na final contra a Suécia entrou Djalma Santos no lugar de De Sordi.

GARRINCHA E PELÉ – Vejam só. Da classificação até a final quase meio time deu lugar a outro. Foi a partir da vitória contra a Rússia que passamos a percorrer a estrada da vitória, com Garrincha deslumbrando o mundo inteiro. E Pelé, aos 17 anos, afirmando-se como um craque absoluto. Mas isso pertence ao passado.

Estamos no presente, Copa de 2018. Na chave, o Brasil falta enfrentar a Sérvia. A equipe deve melhorar ainda mais, alcançando um fator que falta: a confiança e a integração no conjunto da equipe.  Vamos em frente sem nos preocuparmos com qual adversário vamos enfrentar nas oitavaS de final.

TUDO BEM – Uma seleção que é candidata ao título não deve se preocupar com quais adversários as próximas lutas vão ser travadas. 

Se for contra a Alemanha, tudo bem. Nem por isso vamos deixar de desenvolver nosso futebol. Faz parte da história do esporte.  Enfim, a vitória desta sexta-feira vai nos embalar para atuações melhores.

Uma coisa a ser corrigida: as reclamações seguidas de Neymar que terminam irritando os árbitros. É negativo. Tão negativo quanto conter demasiadamente a bola nos pés. Hoje ele soltou mais rápido a bola, o que é um bom sinal para os próximos jogos que teremos pela frente. Amém.

Romário diz ser “decente e honesto” e confirma a candidatura a governador

Resultado de imagem para romário

Romário é acusado de lavagem de dinheiro

Thiago Prado e Marco Grillo
O Globo

O senador Romário (Pode-RJ) postou nesta quinta-feira no Twitter que está mantida a sua disposição para concorrer ao governo do Rio. Após a divulgação por O Globo do relatório do Coaf, que colocou em xeque as suas movimentações financeiras, usando sua irmão como laranja, cresceu no mundo político do Rio a tese de que ele não levará adiante a sua candidatura:

— Volto a afirmar, eu não finjo ser decente e honesto, eu sou! E outra coisa, sou pré-candidato sim ao governo do Rio de Janeiro — escreveu.

A decisão de Romário pode mudar o xadrez eleitoral fluminense. Todas as pesquisas internas nas mãos de partidos o colocam como o líder disparado nas intenções de votos, seguido do ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), do deputado federal Indio da Costa (PSD) e do ex-governador Anthony Garotinho (PRP).

No Futebol – Seus adversários lembram as eleições de 2014 e 2016, quando Romário também ameaçou se candidatar para cargos majoritários e voltou atrás. Há quatro anos, a desistência de sair ao Palácio Guanabara ocorreu em 17 de fevereiro. Há dois anos, le também abdicou da disputa pela prefeitura apenas em 21 de julho, véspera das convenções partidárias.

Desta vez, contudo, há fatores que tornam o futuro um pouco mais indefinido. Romário é a grande estrela do Podemos no Rio, um partido que até agora insiste em Álvaro Dias como postulante ao Planalto. Para ser competitivo, Dias precisará, necessariamente, de um bom palanque no estado.

NEGOCIA O PASSE – Além disso, tem incomodado demais a Romário a fama que se estabeleceu no Rio de que, a cada eleição, ele “negocia o passe” (é exatamente esse jargão futebolístico nas rodas de conversas de políticos).

Até agora, a agenda do senador é, sim, de candidato. Em fins de semana, quando não está em Brasília, seu perfil no Instagram revela viagens pelo interior para reuniões. Ele anunciou que estará em Quissamã, nesta quinta-feira, e São João da Barra e Campos dos Goytacazes na sexta. Em conversa recente com o deputado federal Indio da Costa, também pré-candidato ao governo do Rio, Romário reafirmou que estará na disputa.

Prisão de ex-secretário mostra que a força-tarefa aperta o cerco a Alckmin

Resultado de imagem para alckmin charges

Charge do Bira Dantas (Arquivo Google)

Daniela Lima
Folha/Painel

A prisão de Laurence Lourenço, ex-secretário de Transportes do governo de Geraldo Alckmin, elevou a outro patamar a pressão exercida pelo Ministério Público e pela Polícia Federal sobre o tucano. O alvo Lourenço era homem de confiança de Saulo de Castro, braço direito do ex-governador. Antes, ele trabalhou na Kroll, agência de inteligência já citada em escândalos de monitoramento ilegal. Por isso, diversos secretários de Alckmin se sentiam desconfortáveis em falar com ele. Havia temor de grampos.

Laurence e os outros 14 alvos da PF foram presos temporariamente para “colheita de provas” e “apuração mais ampla”. Quem entende do riscado diz que esse era o argumento clássico para coercitivas —proibidas pelo STF.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
 – Está mais do que comprovado que os tucanos são tão corruptos quanto os petistas. A diferença é que os inquéritos e processos contra petistas andam em velocidade muito mais rápida. (C.N.)

Douglas Costa e Roberto Firmino mostraram que não podem sair do time

Resultado de imagem para brasil e costa rica

Felipe Coutinho fez um gol no estilo futebol de salão

Carlos Newton

No primeiro tempo, aquela chatice, com os dois times trancafiados, a sete chaves, como se dizia antigamente, não há futebol em campo. O Brasil tinha mais domínio, mas a Costa Rica se trancava bem, com excelente preparo físico, ocupava o campo inteiro, as jogadas não evoluíam, um jogo desagradabilíssimo. No segundo tempo, os jogadores da Costa Rica começaram a gostar do jogo e se abriram um pouco, facilitando os ataques do Brasil, que passou a mandar em campo, de uma forma impressionante e implacável. Conseguir o primeiro era só uma questão de tempo.

Mas o gol não saía e a Costa Rica até fazia contra-ataques perigosos. Naqueles mistérios do futebol, há partidas em que simplesmente o gol não acontece, não importa o que esteja acontecendo em campo.

GOL DE BICO – E o jogo foi prosseguindo, a Costa Rica mudou alguns jogadores, para manter o ritmo, mas já na prorrogação afinal saiu o primeiro gol, numa confusão na área, em que Gabriel de Jesus deu uma bela assistência e Felipe Coutinho completou de bico, em estilo futebol de salão. O meia foi bafejado pela sorte, porque o goleirão da Costa Rica estava bem colocado, mas a bola passou entre as pernas dele.

Depois, a Costa Rica entrou em desespero, foi para o ataque tentar o empate e o resultado justo de 2 a 0 saiu no último minuto, com o gol de Neymar, que decididamente não estava em seus melhores dias.

DOUGLAS E FIRMINO – As substituições feitas por Tite foram fundamentais, mostrando que Douglas Costa e Roberto Firmino não podem ficar fora desse time. Sempre que pegava a bola, Douglas Costa estava enlouquecendo a defesa adversária, apesar de pouco acionado. Conseguia ficar quase sempre desmarcado, mas os meias não enfiavam a boa para ele.

Quanto a Roberto Firmino, roda o campo todo, é um jogador moderno e o time precisa dele. Quando chega no ataque, é sempre um perigo, dá gosto vê-lo jogar.

Romário usa a própria irmã como laranja e complica sua carreira política

Romário e Zoraidi, que enriqueceu de repente

Marco Grillo e Thiago Prado
O Globo

O patrimônio da vendedora Zoraidi de Souza Faria, irmã do senador Romário (Podemos-RJ), cresceu 1.800% em um intervalo de dois anos. Documentos oficiais revelam que, em 2014, ela tinha R$ 649 mil em bens, valor que saltou para R$ 12,4 milhões em 2016 — o acréscimo significa que Zoraidi multiplicou por 19 suas posses. No mesmo período, a irmã de Romário, pré-candidato ao governo do Rio, conseguiu uma renda mensal de cerca de R$ 4 mil, em média, somados salário, lucro com aplicações financeiras e uma indenização trabalhista.

Na quinta-feira, O Globo mostrou que um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) encontrou indícios de lavagem de dinheiro em transações bancárias de Romário. O senador usa, por meio de uma procuração, uma conta aberta em nome de Zoraidi em uma agência do Banco do Brasil no Congresso Nacional.

MOVIMENTO – Segundo o Coaf, a conta recebeu R$ 8 milhões entre agosto de 2016 e abril de 2017. Já as saídas da mesma totalizaram R$ 7,5 milhões no mesmo período. O banco também foi usado para pagar despesas do pré-candidato com advogados e com a compra de uma casa em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

O imóvel, que custou R$ 6,4 milhões, aparece formalmente entre os bens de Zoraidi e é um dos responsáveis pelo salto patrimonial verificado em 2016. No mesmo ano em que desembolsou a maior parcela da compra da casa — uma parte já havia sido paga em 2015 —, a irmã do senador ganhou apenas R$ 8 mil em salários de uma organização social que teve contrato com a prefeitura do Rio. Zoraidi ainda guarda R$ 600 mil em espécie, R$ 4,8 milhões em uma previdência privada e tem dois carros de luxo registrados em seu nome. Os veículos foram penhorados pela Justiça, que entendeu que o mecanismo foi uma forma de Romário ocultar o patrimônio para evitar o pagamento de dívidas.

“EMPRÉSTIMOS” – Ao mesmo tempo em que mantém bens do senador em seu nome, Zoraidi assinou, entre 2015 e 2016, dois contratos de empréstimos que somaram R$ 10 milhões, em uma possível tentativa de justificar o lastro financeiro para o tamanho do patrimônio. Deste valor, R$ 4 milhões foram emprestados por Romário, e R$ 6 milhões pela RSF, empresas cujos donos no papel são a mãe e o pai do senador.

Ambos os acordos preveem que Zoraidi pague os valores devidos em 60 vezes. Sem levar em conta os juros previstos de 6% ao ano, a irmã do senador precisaria arcar com parcelas de R$ 166 mil para zerar o débito. Caso decidisse quitar o pagamento mensalmente, Zoraidi teria que multiplicar vinte e uma vezes sua renda mensal de cerca de R$ 4 mil apenas para honrar as parcelas da dívida contraída junto ao irmão e à empresa registrada em nome de seus pais.

Zoraidi e Romário foram procurados ontem para comentar a evolução patrimonial, mas não responderam.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Romário foi um grande craque, mas é um perna de pau como político. O uso de sua irmã como laranja vai lhe custar um processo judicial da pesada, por lavagem de dinheiro. Ele terá de contratar advogados de verdade, que custam caro, muito caro. Precisa urgentemente de um assessor com um mínimo de conhecimento das leis vigentes no país. (C.N.)

32% acham Lula o mais preparado para fazer a crescimento decolar

Resultado de imagem para lula nas pesquisas charges

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Deu na Folha

O ex-presidente Lula é o pré-candidato ao Planalto mais preparado para acelerar o crescimento da economia do país, avalia o eleitor brasileiro. Segundo pesquisa Datafolha, 32% dos entrevistados citaram o petista como o melhor nome para desempenhar essa missão. O resultado da pesquisa é bastante similar ao quadro geral de intenção de voto do eleitor, com o ex-presidente sendo seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 15%, e Marina Silva (Rede), 8%.   

Lula encerrou seu segundo mandato na Presidência, em 2010, com alta aprovação popular e uma taxa de crescimento do PIB de 7,6%, o maior índice desde 1985. Mas o PT depois levaria o país, no governo de Dilma Rousseff, a uma de suas mais graves recessões.

RECESSÃO – De 2014 a 2016, a produção e a renda do país encolheram 8,2%. Neste ano, o mercado estima um crescimento em torno de 1,7%.

Para reverter esse quadro de estagnação, Lula é o favorito de eleitores de todas as faixas etárias e regiões do país. No Nordeste, onde tradicionalmente tem maior aprovação, o petista é visto como o  melhor remédio para a economia por 51% dos entrevistados, contra apenas 8% do segundo colocado, Bolsonaro.

A vantagem do ex-presidente, porém, diminui conforme aumentam a escolaridade e a renda dos eleitores.

ESCOLARIDADE – No grupo que possui apenas o ensino fundamental, ele atinge 37%, contra 9% de Bolsonaro. Entre os entrevistados com nível de ensino superior, ambos estão empatados, com 20%.

Do mesmo modo, Lula chega a 40%, versus 11% de Bolsonaro, no grupo com renda mensal de até dois salários mínimos. Entre os mais ricos, com mais de dez salários, o petista cai para terceiro (14%), atrás de Bolsonaro (22%) e do tucano Geraldo Alckmin (17%).

Nesse grupo, o ex-presidente fica tecnicamente empatado com Henrique Meirelles (MDB), —citado por 12%—, ex-ministro da Fazenda (governo Temer) e ex-presidente do  Banco Central (gestão Lula).

SEMPRE LÍDER – Preso desde 7 de abril, Lula ainda lidera a lista de intenção de voto para o Planalto quando seu nome é incluído entre os pré-candidatos. É o preferido de 30% dos entrevistados. Condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, o petista é inelegível, de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Segundo o Datafolha, a maioria da população acredita que o ex-presidente não será candidato, mas o número registrou queda na última pesquisa. Passou de 62% em abril para 55% no início de junho. 

Já os que avaliam que ele participará da disputa passaram de 34% para 40%.

CANDIDATURA – A percepção de que o ex-presidente não concorrerá às eleições, no entanto, não significa que os entrevistados acreditem que ele não deveria ser candidato. Nesse caso, constata-se um empate. Para 48%, Lula deveria ser impedido de concorrer, enquanto 49% são contra vetá-lo.

Quaisquer que sejam os candidatos, o eleitor acredita que saúde (41%) e educação (20%) deveriam ser a prioridade do próximo presidente.

A saúde também aparece, ao lado da corrupção, no topo da lista dos principais problemas do país. Foram mencionadas por 18% dos brasileiros. Em seguida foram citados o desemprego (14%) e a violência (9%).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Nada de novo nesta pesquisa Datafolha. Lula é o único líder político que esta nação tem. Se pudesse ser candidato, dificilmente perderia, devido alto ao grau de ignorância do eleitor brasileiro. Apenas isso. Daqui a pouco a gente volta ao assunto. (C.N.)

Oito em cada 10 fundos de previdência de servidores têm irregularidades

Resultado de imagem para fundo de previdencia charges

Charge do Ivan Cabral (ivancabral.com)

Alessandra Azevedo
Correio Braziliense

A situação da Previdência Social preocupa não apenas do ponto de vista orçamentário, mas também pela má gestão dos recursos e pela desorganização do sistema. De acordo com o Ministério da Fazenda, oito em cada 10 regimes previdenciários de servidores públicos (RPPS) estão irregulares em relação a pelo menos um dos critérios de conformidade avaliados pela Secretaria de Previdência — entre eles, equilíbrio financeiro e atuarial, uso dos recursos previdenciários e respeito ao caráter contributivo.

Isso quer dizer que, se todos os servidores que participam desses regimes previdenciários quisessem se aposentar hoje, não haveria segurança de que seria possível fazê-lo. Certamente não haveria recursos suficientes para honrar os benefícios.

UMA BAGUNÇA – Do total de 2.123 regimes estaduais, municipais e federais, 17,4% (369) não cumprem nenhum dos critérios, e apenas 18,2% (387) estão em dia com todas as regras de organização e funcionamento previstas em lei. Os dados são do indicador de avaliação do RPPS, divulgado nesta quarta-feira (20/6) pela Secretaria de Previdência.

A maioria (74,8%) dos RPPS não respeita o caráter contributivo do sistema, o que significa que o governo não tem repassado as contribuições previdenciárias, destinadas ao pagamento de benefícios, para os cofres do sistemas de aposentadorias. “Não quer dizer que o ente nunca repassou esses valores. Significa que ele está há algum período sem comprovar esse repasse”, explicou o subsecretário dos Regimes Próprios de Previdência, Narlon Gutierre Nogueira.

DESVIO DE FINALIDADE – Ainda de acordo com o relatório, 23,8% dos estados e municípios usam os recursos previdenciários dos RPPS de forma irregular ou acima dos limites. Ou seja, mesmo que os valores sejam repassados para o RPPS, o dinheiro é usado para outras finalidades. Em alguns casos, para cobrir gastos de outras áreas, como saúde e assistência social; em outros, simplesmente desviados.

Além disso, há irregularidades em relação ao equilíbrio financeiro e atuarial em 41,1% dos regimes de servidores. Nesse caso, um dos problemas é que os entes não têm enviado os demonstrativos de que as receitas previdenciárias serão suficientes para cobrir as despesas do sistema, tanto a curto quanto a longo prazo. E os que indicam que há deficit atuarial não estabelecem, em lei, uma alternativa para equacioná-lo.

A região que tem a maior índice de regimes completamente dentro dos conformes é o Sul, com 57,1%. Já os irregulares são, em maioria, do Nordeste (62,87%).

Uma poesia matemática, na genial criatividade de Millôr Fernandes

Resultado de imagem para millor fernandes frasesPaulo Peres
Site Poemas & Canções

O desenhista, humorista, dramaturgo, tradutor, escritor, jornalista e poeta carioca Millôr Viola Fernandes (1923-2012), em “Poesia Matemática” usou a sua genialidade para através de metáforas contar uma estória de amor.

POESIA MATEMÁTICA
Millôr Fernandes

Às folhas tantas
do livro matemático
um Quociente apaixonou-se
um dia
doidamente
por uma Incógnita.
Olhou-a com seu olhar inumerável
e viu-a do ápice à base
uma figura ímpar;
olhos rombóides, boca trapezóide,
corpo retangular, seios esferóides.
Fez de sua uma vida
paralela à dela
até que se encontraram
no infinito.
“Quem és tu?”, indagou ele
em ânsia radical.
“Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode me chamar de Hipotenusa.”
E de falarem descobriram que eram
(o que em aritmética corresponde
a almas irmãs)
primos entre si.
E assim se amaram
ao quadrado da velocidade da luz
numa sexta potenciação
traçando
ao sabor do momento
e da paixão
retas, curvas, círculos e linhas sinoidais
nos jardins da quarta dimensão.
Escandalizaram os ortodoxos das fórmulas euclidiana
e os exegetas do Universo Finito.
Romperam convenções newtonianas e pitagóricas.
E enfim resolveram se casar
constituir um lar,
mais que um lar,
um perpendicular.
Convidaram para padrinhos
o Poliedro e a Bissetriz.
E fizeram planos, equações e diagramas para o futuro
sonhando com uma felicidade
integral e diferencial.
E se casaram e tiveram uma secante e três cones
muito engraçadinhos.
E foram felizes
até aquele dia
em que tudo vira afinal
monotonia.
Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum
frequentador de círculos concêntricos,
viciosos.
Ofereceu-lhe, a ela,
uma grandeza absoluta
e reduziu-a a um denominador comum.
Ele, Quociente, percebeu
que com ela não formava mais um todo,
uma unidade.
Era o triângulo,
tanto chamado amoroso.
Desse problema ela era uma fração,
a mais ordinária.
Mas foi então que Einstein descobriu a Relatividade
e tudo que era espúrio passou a ser
moralidade
como aliás em qualquer
sociedade.         

Absolvição de Gleisi anima o PT, que sonha com a libertação de Lula

O ex-presidente Lula e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann

Acontece que os casos de Lula e Gleisi são diferentes

Carlos Newton

A jornalista Mônica Bergamo, da Folha, revela que o julgamento da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, inocentada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quarta-feira (dia 20), entusiasmou o partido. “Há uma crença de que a corte também solte Lula na próxima semana. A situação, no entanto, é incerta”, assinala a excelente colunista da Folha, que tem boas fontes no PT.

Sonhar não é proibido nem paga imposto, mas pode trazer decepções. Na Justiça, cada caso tem características próprias, a analogia não se adapta a questões diferenciadas. E o caso da senadora Gleisi Hoffmann não tem nada a ver com a condenação de Lula.

PROVAS MATERIAIS – A denúncia contra Gleisi era inconsistente. Não havia provas materiais de corrupção e lavagem de dinheiro, na época ela nem era senadora, não tinha como fazer tráfico de influência, apenas seu marido Paulo Bernardo, que era ministro, tinha condições de delinquir.

A Lei da Delação Premiada (Lei 12.850, de 2 de agosto de 2013) é claríssima a respeito. Art. 4º, parágrafo 16, determina que “nenhuma sentença condenatória será proferida com fundamento apenas nas declarações de agente colaborador”.

Era justamente o caso da denúncia contra Gleisi Hoffmann, o marido e outros dois réus. O relator Edson Fachin curvou-se aos fatos e pediu a inocentação, mantendo apenas a denúncia de Caixa 2, porque havia provas de recebimento, mas o trio Lewandowski, Mendes e Toffoli generosamente absolveu os réus.

CASO DE LULA – A situação de Gleisi era muito diferente de Lula da Silva. Os relatos de vários delatores se completavam, havia testemunhas complementares e provas materiais que robusteciam as acusações. Caso não existisse este entrelaçamento de delações e testemunhos, acrescido das provas materiais, Lula jamais teria sido processado.

Se o juiz Sérgio Moro fosse um insano e tivesse condenado Lula sem provas, seria um escândalo nacional, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região não teria confirmado a sentença e até acrescido a pena, e o Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal já teriam libertado Lula desde o primeiro recurso.

EFEITO SUSPENSIVO – O fato concreto é que recursos ao STJ e ao Supremo não têm efeito suspensivo, o cumprimento antecipado da pena é da competência do tribunal de segunda instância, que preferiu recolher Lula.

Embora ele não ofereça risco à sociedade, o conjunto de sua sinistra obra é impressionante, a partir da institucionalização do maior esquema de corrupção já implantado no mundo.

O relator Edson Fachin se arrisca muito ao colocar a libertação de Lula nas mãos da Segunda Turma, onde apenas ele é favorável à prisão após segunda instância. Acredito que ele saiba que, por questões de jurisprudência, os demais ministros não podem libertar Lula. De toda forma, é um risco desnecessário, porque Fachin poderia ter submetido a questão ao plenário, onde Lula tem menos chances.

###
P.S.
A libertação de Lula nada tem a ver com a candidatura dele. Mesmo solto, continuará inelegível, na forma de Lei da Ficha Limpa. A defesa então terá de recorrer ao STJ, mostrando que existe “plausibilidade” no pedido para “inocentar” Lula. É o que diz a lei. (C.N.)

Seleção de Tite, hoje deve atuar mais solta no caminho da classificação

Resultado de imagem para brasil e costa rica

Neymar levou cartão e devia parar com o cai-cai

Pedro do Coutto

Depois do empate com a Suíça, na partida em que atuou prendendo demais a bola e condicionada a esquemas rígidos, hoje a seleção entrou em campo com a responsabilidade de obter a classificação nas oitava de final. A Costa Rica não era problema em si, problema era a forma com que o escrete brasileiro ia jogar. Se desenvolvermos o potencial que é a base da Seleção, devemos partir para a classificação e o esforço para conquistar o hexacampeonato na Taça da Rússia.

Reportagem de Ciro Campos e Márcio Doban, edição de ontem de O Estado de São Paulo, destaca que o técnico Tite encontra-se sob tensão diante da responsabilidade de comandar o time. Tensão nas poucas horas que antecedem o início da partida é um fenômeno geral e natural nas competições de maior porte. Sobretudo no futebol em que a tática é capaz de neutralizar a técnica e até a arte dos melhores atletas.

NOSSO PROBLEMA – Afirmei que a Costa Rica não era o problema. O problema é a nossa própria seleção, que através dos tempos passou a valer ouro no universo do futebol.

O universo mágico do futebol, como se sabe, revela um esporte coletivo altamente complexo, que exige não só a qualidade , mas sobretudo a calma diante dos adversários. Não podemos repetir o erro de neutralizarmos nós mesmos. Isso só depende dos próprios jogadores brasileiros e também da percepção por parte do treinador Tite.

Um dos pontos chave do jogo encontra-se nos pés de Neymar. Ele tem que se colocar mais a frente, uma vez que é mais atacante do que o meio campo brasileiro.

JÁ GANHOU – Depois da Suíça e Costa Rica, teremos a Sérvia pela frente. Uma partida provavelmente mais difícil do que a de hoje. Não podemos, por outro lado, partir para a sensação do “já ganhou”, extremamente negativa para qualquer equipe. O “já ganhou” nos derrotou em 1950 e deixou suas marcar na memória do esporte.

Por isso tivemos que respeitar a Costa Rica, que se concentrou na defesa, procurando com a tática neutralizar a técnica. Mas a arte foi decisiva hoje, não só para vencer a partida, mas sobretudo para restabelecer um clima de confiança em nós mesmos. Não podemos cair no abismo do que Nelson Rodrigues chamava de complexo de vira-lata, a sensação de inferioridade, que constitui  nosso maior obstáculo.

Se depender do jogo de hoje, estaremos, se Deus quiser, no caminho da vitória até o desfecho final de 15 de julho. O treinador Tite tinha uma dupla missão: fazer com que Neymar não prendesse demais a bola nem praticasse dribles desnecessários. Além disso, soltar a equipe e deixá-la jogar mais à vontade, livrando-se de planos pré-concebidos. É isso aí.